segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Assim se vive cá em casa

Não sei se nos vossos lares isto também sucede mas, aqui em casa, este foi o diálogo que se desenrolou da última vez que tentei ter uma conversa com o homem enquanto ele estava absorvidíssimo da vida a ver um dos muitos programas do Discovery que ele devora como se fossem M&M's:

Eu: Este fim-de-semana podíamos ir até Basingstoke dar uma volta.
Ele: Hm.
Eu: Ou podemos ir a Guildford.
Ele: Hm.
Eu: Também temos de fazer a lista de compras no site do Tesco.
Ele: Hm.
Eu: Há alguma coisa que queiras encomendar?
Ele: Hm.
Eu: Estás a ouvir alguma coisa do que eu digo???
Ele: Sim, Sofia, também te amo muito.

Posto isto, bem que me apetecia dar-lhe dois berros por não ter ouvido peta do que eu tinha dito, mas não só não fui capaz, como ainda me ri à gargalhada.

sábado, 21 de outubro de 2017

Sofia em Viagem | Barcelona #2

No segundo e último dia da nossa viagem a Barcelona, acordámos com as pernas cansadas. Não sei se vocês são iguais, mas eu ando tanto quando vou a algum lado, que volto para casa sempre exausta. Mas, apesar das nossas pernas cansadas, a primeira paragem foi o Parc Guell. Para quem nunca lá foi: usem calçado confortável, porque vão ter de subir e subir e subir até lá chegarem (há escadas rolantes na rua, que são uma bela ajuda. Cuidado também a descerem, especialmente se estiver chuvoso, como estava quando fomos lá.), mas vale a pena. Estivemos lá a manhã toda e, mesmo assim, não explorámos tudo como queríamos. 

Tinha, também, deixado para domingo a visita ao Palau de la Música Catalana, mas fiz uma burrice descomunal e não verifiquei os horários de abertura, pelo que quando lá chegámos tinha fechado há 6 minutos. Não imaginam a minha frustração, porque era das coisas que mais queria visitar, mas tive de me contentar com um cappuccino no café do Palau. 

Repostas as energias, voltámos a apanhar o metro, para irmos visitar Montjuic. Aconselho muito a visita ao Castelo de Montjuic (podem apanhar o teleférico, é carote, mas poupa-vos as pernas), porque, além de ser uma referência importante na história de Barcelona, oferece-vos uma vista espectacular sobre a cidade.

Acabámos o dia a visitar a zona do Porto de Barcelona, que é toda uma animação e onde podem encontrar a estátua de Cristóvão Colombo, e a seguir percorremos a pé a La Rambla, para voltarmos para o hotel, que tínhamos as malas para fazer para a viagem do dia seguinte.

Espero que gostem das fotos desta minha "viagem-relâmpago". Eu gostei muito de visitar Barcelona e hei-de lá voltar, certamente!


A chegar ao Parc Guell, esta era a vista








Casa de Gaudi



A caminho do Palau de la Música Catalana

O exterior do Palau





Digam lá se não é o cappuccino mais lindo? E também era bem gostoso.
Já em Montjuic

O teleférico é um meio de transporte que me fascina

O castelo de Montjuic




A vista para o porto

Para quem não sabia, o Castelo de Montjuic foi um dos pontos utilizados para estabelecer o arco que serviu de base ao sistema métrico decimal



A estátua de Cristóvão Colombo

O porto


Algumas das tapas que comemos ao jantar




sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Está a chegar aquela altura do ano...

Aquela altura do ano em que a minha pele passa de seca a extremamente-seca-e-também-irritante. 

Adoro aquelas pessoas que me dizem que nunca se lembram de usar hidratante. Eu não podia não me lembrar, nem que quisesse. De cada vez que escovo os dentes, tenho de pôr batom hidratante a seguir. De cada vez que lavo as mãos, tenho de pôr creme. E o mesmo se aplica ao restante da minha pele. É seca e à mínima coisa começa a repuxar e a dar-me comichão e é só horrível. E, se no verão a coisa até se aguenta, quando o tempo arrefece está o caldo entornado. 

Eu não gosto de usar creme hidratante. Eu não gosto de ficar besuntada e gordurosa mas, infelizmente, tenho de passar por isso todos os dias ou as consequências são terríveis. 

Posto isto, deixo-vos aqui 2 dos meus melhores aliados nesta minha luta - um deles já é um amigo de longa data e tenho a certeza que já o mencionei aqui no blog, porque é o melhor creme hidratante de todos os tempos, e é o Lipikar da La Roche-Posay, o outro é novidade e é um gel de banho que descobri n'O Boticário, da última vez que me fui reabastecer do melhor creme de pés do mundo (o creme de pés de Ameixa), e é o Nativa Spa Shower Gel com Óleo Hidratante, faz parte da gama da Terapia dos Óleos Indianos e é uma pequena maravilha, porque não resseca a pele e tem um cheiro divinal. 


quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Aquela cena típica de mulher adulta...

Encontrar uma aranha (era enorme, juro) a passear-se na cama e mandar mensagem ao namorado para vir para casa o mais depressa possível "porque é urgente!". A seguir, embrulhar a bicha no lençol, sempre mantendo a distância mínima de segurança e esperar que o homem chegue.

#maturidade



terça-feira, 17 de outubro de 2017

Os números da desgraça

Os incêndios em Portugal não são novidade nenhuma para ninguém. Eu tenho 29 anos e desde que me lembro de ser gente que me lembro também dos incêndios. É triste, é revoltante e não estou a par dos interesses que dizem que andam por trás desta situação, que foi escalando verão após verão até culminar na calamidade que foi este ano. 

O que eu sei é que este ano arderam mais de 225 mil hectares de floresta em Portugal. Arderam casas, arderam terrenos, ardeu tudo. 65 pessoas perderam a vida em Junho e agora mais 41 (pensava eu que eram 36, mas o Notícias ao Minuto actualizou há pouco para 41), o que dá um total de 106 pessoas. 106 perderam a vida este ano, em Portugal, por causa dos incêndios e isto é muito grave. Não querendo, obviamente, minimizar o que se passou noutros países, mas morreram mais pessoas em Portugal do que nos atentados de Barcelona e de Inglaterra combinados. Não há vidas mais valiosas que outras, mas é só para termos uma perspectiva da matemática da coisa. 

Nenhum discurso no facebook vai trazer de volta as pessoas que partiram. Nenhuma notícia, nenhuma crónica, nada nem ninguém vai poder reverter o que se passou e a verdadeira justiça nunca será feita, porque a verdadeira justiça era que nada disto tivesse acontecido. Mas temos de deixar de encolher os ombros, porque achamos que nunca nada vai mudar e, como tal, não estamos dispostos a lutar para que mudem (e, antes que me venham para aqui atacar, sou a primeira a admitir que também eu tenho de mudar). Não pode ser, somos melhores que isto e merecemos melhor que isto. 

Não sei quais serão as melhores soluções porque este não é, de todo, um tema que eu domine. Mas tem de haver alguma solução, tem de haver alguma coisa a fazer. Aprendi com os franceses que a pior coisa que se pode fazer é baixar a cabeça e desistir sem dar luta. Se é preciso acabar com os eucaliptos? Que se acabem com os eucaliptos. Se é preciso mais fiscalização para as limpezas dos terrenos? Pois, venham elas. São precisos novos governantes? Bem, eu sou da opinião de que toda a vida política em Portugal precisa de uma remodelação a fundo, portanto, seja qual for o pretexto, eu sou a favor.

Que nunca se esqueçam as 106 vidas que foram perdidas este ano. E, por respeito aos que foram e aos que ficaram, que nunca mais se repita este cenário.


segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Sofia em Viagem | Barcelona #1

No fim-de-semana a seguir ao meu aniversário, fomos dar um saltinho a Barcelona. As viagens estavam marcadas há imenso tempo, tinha apanhado uns voos super baratos e tive tempo e disposição para tratar de tudo com antecedência. Tanta antecedência que, antes da minha viagem, deu tempo para haver um atendado terrorista, um dos nossos voos foi cancelado e ainda programaram um referendo para a independência que ia decorrer precisamente quando nós lá íamos estar. Ainda pensei em desistir de tudo, mas ainda bem que não o fiz. A única coisa com que não tivemos muita sorte foi com o tempo, que esteve cinzento, mas não esteve frio nenhum. Não sei onde é que a nossa comunicação social foi buscar aquelas imagens todas de violência no domingo do referendo, porque não vi confusão nenhuma em lado nenhum.

Mas pronto, passando ao que interessa! 

Chegámos a Barcelona na sexta-feira à noite. Na estação de metro do aeroporto, comprámos um bilhete válido para 72 horas (há bilhetes de várias durações) e que incluía todos os transportes públicos da cidade, incluindo o funicular de Montjuic. O nosso hotel era em pleno centro da cidade, na famosa La Rambla. Gosto sempre de reservar hotéis no centro das cidades para onde vou, poupa-se imenso tempo em deslocações. 

Sábado de manhã, depois de uma merecida noite de descanso, começámos o nosso passeio por Barcelona.

Vou deixar-me de paleio e deixar-vos aqui as fotos. Não vos vou aborrecer com um roteiro da minha viagem, pelas imagens já vão ter ideia de por onde andei. E, já sabem, para saberem (quase) sempre por onde ando, é irem aqui.


O pôr do sol visto do avião


O Teatro do Liceu, em La Rambla




Barcelona é um paraíso arquitectónico e artístico, uma pessoa não se aborrece a olhar para os edifícios deles

Mosaico Miró

A Praça Real

A minha irmã, a armar-se aos cucos

Palácio Guell. Fica difícil tirar uma foto decente da fachada, porque a rua é super estreita

Edifícios na Praça de Pi

Catedral de Barcelona


Eu e as minhas New Balance novas =D





La Boqueria, um sonho de lugar

Chocolates

Fruta desidratada

Mais chocolates

Bonecos de massapão

Geladinhos só de fruta

Fruta, fruta e mais fruta

1001 variedades da sal, de todos os sabores possíveis

Uma espetadinha de morangos com chocolate a sair!


Casa Battló, uma das muitas obras de Gaudi

Casa Amatller



La Pedrera





A nunca acabada Sagrada Família



A entrada do Parc de la Ciutadella