quarta-feira, 6 de setembro de 2017

La Vie en France | Pensavam que já tinha acabado?

Admitam lá, meus pequenos unicórnios felpudos, se não estavam a morrer de saudades desta rubrica? Estavam vocês aí a pensar que, como já não moro em França, não teria mais nenhum episódio caricato para vos relatar sobre os nossos estimados Camemberts, não é verdade? Não chorem mais, meus caros. Porque podem tirar a pessoa de França, mas não podem tirar França da pessoa. O que quer que seja que isso signifique.

E o que é que vos venho contar hoje? Oh, nada de especial, só mais um momento brilhante que ficou para a história dos meus 3 anos a viver em França.

Então, passou-se assim: aqui a pessoa morava em Troyes, num apartamento alugado. Até aqui, nada de surpreendente. No momento de alugar o apartamento, tive de pagar uma caução, que serviria para cobrir algum eventual estrago que eu fizesse no apartamento (que não fiz). Não havendo estragos, na hora de ir embora, esse dinheiro ser-me-ia devolvido na íntegra. 

Pois que, no meu último fim-de-semana em Troyes, nós limpámos, aspirámos, esfregámos, eu pendurei-me na janela do meu terceiro andar para conseguir limpar aqueles vidrinhos todos, enquanto o meu namorado me agarrava pelos gémeos, para que eu não me estatelasse lá em baixo. Vieram reforços de Paris (obrigada, Isabel e André) para ajudar a empacotar, a limpar e a deixar tudo a brilhar. E ficou tudo a brilhar, qual Gata Borralheira, qual quê. Segunda-feira, a menina da agência, depois de inspeccionar a casa duma ponta à outra (o que não demora muito, na verdade, porque era um apartamento minúsculo) e de afirmar que a casa estava impeccable!, pediu-me a morada para onde poderia mandar o cheque com o reembolso da caução.

Até aqui, tudo tranquilo, tudo favorável. Deixei-lhes a morada duma amiga que está em França e vim embora descansada. 

Este foi o meu primeiro erro. Nunca se pode ficar descansado, nunca! Esperei um mês pelo cheque e nada. Liguei para lá várias vezes e a única resposta que consegui foi "é normal que demore até dois meses". Quando já tinham passado dois meses e meio, lá consegui que me passassem ao serviço de contabilidade. Não me lembro do nome da menina com quem falei, só me lembro de a ouvir dizer que tinha sido emitido e enviado um cheque em meu nome, há mais de um mês.

"Mas, como assim? Eu não recebi nada. Para que morada é que enviaram?".

Não vos vou transcrever a resposta dela, vou só dizer-vos que a criatura teve muita sorte de eu estar no meio da rua, em plena baixa do Porto, rodeada de gente e não querer armar um escândalo. Sendo assim, respirei fundo (pelo menos umas 20 vezes), engoli em seco e disse, na voz mais calma e baixa com que fui capaz, perfeitamente consciente de que estava a falar baixo, mas nada calma: "Mas isso foi a morada de onde eu saí".

Neste momento já tinha o meu namorado ao lado a dizer "Mas eles são mesmo estúpidos, não são?" e percebi que a senhora só queria um buraco para se enfiar. Lá me deu uma desculpa esfarrapada, disse-me como é que íamos resolver o problema e pronto, agora já está resolvido.

Mas sou só eu que acho duma imbecilidade sem qualificação possível mandarem-me o cheque para a casa de onde eu saí, a casa cujas chaves eu lhes entreguei para a poderem alugar a outra pessoa? 

Enfim. Mais um cabelo branco para mim (ainda não tenho nenhum, mas imagino que um dia vou acordar, olhar para o espelho e ter pelo menos uns 20 a acenarem-me).

16 comentários:

  1. Leitores, não temam! A pessoa já não está França, mas a amiga da pessoa está e pode sempre ir actualizando no que a estupidez francesa diz respeito 😉

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eheh ainda bem que podemos contar contigo ;P

      Eliminar
  2. Opa muita estupidez junta! Felizmente já esta resolvido. :)
    R: Obrigado pela dica! Não faço de todo questão de usar :D foi só mesmo para experimentar e geralmente intercalava sempre com outras (tanto que durou meses cá por casa).

    ResponderEliminar
  3. Para isso, mais valia nem pedirem a morada para mandarem o cheque! Mas ainda bem que se resolveu tudo pelo melhor :)

    r: Só conheço mesmo aquele livro, mas gostei bastante*

    ResponderEliminar
  4. Já estavam era a ver se ficavam com o dinheiro!

    ResponderEliminar
  5. Ai que piada! As pessoas que lá moram agora é que ficaram radiantes!

    ResponderEliminar
  6. Ai não posso, o que vale é que acontece isso em todo o lado :D
    à pouco tempo mudaram a morada do meu filho para uma onde eu já não moro à mais de 16 anos, depois enviaram uma carta para lá para actualizar os dados -.-

    Beijinhos,
    Dezassete

    ResponderEliminar
  7. You have a wonderful blog. Keep it up!

    Let's keepp in touch and follow each other.

    Vilma

    http://mateatme.blogspot.com.es

    ResponderEliminar
  8. Mas que coisa mais absurda realmente! E vá lá ainda terem resolvido a situação...
    beijinhos
    https://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. A estupidez e neste caso mau profissionalismo está espalhada pelo Mundo inteiro ....
    Por aqui por vezes ( a segurança social ) dá Vida às pessoas já mortas ....
    Beijinhos e tudo a correr pelo melhor

    ResponderEliminar
  10. ahahah Essa é de gente esperta, de facto.

    ResponderEliminar
  11. Realmente... Já me fizeste rir mas faço ideia a carga de nervos que não passaste. É muita estupidez, não é? Enfim!!

    ResponderEliminar
  12. Descansa que não são só os franceses :P sinceramente, nem consigo compreender como é que isso acontece. Incoerentes xD

    ResponderEliminar
  13. Realmente, que coisa mais estúpida. Parece que nem pensam.

    ResponderEliminar